Bem-vindos a Taberna!
Grupo do Facebook


Justiçadas sociais News

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por White Witch em 24/9/2015, 11:28

Vejo nisso antes um calcanhar de Aquiles de movimentos supostamente progressistas: a recorrência do nacionalismo, no caso em questão o africano (mas poderia ser qualquer outro desde que não seja Europeu, caso o contrário os progressistas notam o "bug" no sistema).

É o que falei, movimentos inclusivistas, terminando em exclusivismo etno-identidarista/exclusivistas(não podem se apropriar da cultura "exclusiva" deles, não pode se relacionar com os de fora da "tribo").

Esse bug só é possível, por que na realidade esse povo já é incluso na grande sociedade capitalista, tem poder de compra, acesso a informação(redes sociais, internet), etc. Não tem mais aonde serem incluídos.

Cria o fantasma de supressão de identidade.
==============================


Vejamos uma analogia, existe o grupo dos "motoqueiros malvados" que se vestem de preto, caracteristica do clube. Eu reclamo que sou excluido desse grupo e não me deixam vestir de preto como eles,...., quando depois de muita choradeira eu entro nesse clube e adquiro o direito de vestir de preto igual aos demais, eu fico reclamando que minha identidade que é gostar de usar camisas vermelhas está sendo reprimida neste clube LOL.

_________________________________________
TUTORIAL=> Encurtando e criptografando links
avatar
White Witch
Webmaster
Webmaster

Mensagens : 1776
Data de inscrição : 02/07/2014
Localização : Seversk - Rússia

http://eusouarcaico.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por White Witch em 24/9/2015, 11:36

......
O preço por fazer parte de uma sociedade capitalista moderna, é abraçar o individualismo e abrir mão de valores coletivos seja da 'raça' 'clube' ou 'grupo', essa não é só uma exigência do mercado, mas dos governos desses países capitalistas, e existe a irônica acusação de que são países socialistas massificam a sociedade. A "supra-humanidade" que Dugin se refere.

Esse preço é o que esses movimentos de orientação etno-identidária modernos não querem pagar. A inclusão que eles tanto pedem, significa a dissolução dos mesmos.

Esse problema afeta também os brimos. O maior matador de judeus em números brutos, não foram os nazistas, mas o liberalismo que produziu milhares de pessoas que "deixaram de ser judeus".

_________________________________________
TUTORIAL=> Encurtando e criptografando links
avatar
White Witch
Webmaster
Webmaster

Mensagens : 1776
Data de inscrição : 02/07/2014
Localização : Seversk - Rússia

http://eusouarcaico.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por White Witch em 24/9/2015, 11:40

....
Esse dilema é o que mata mesmo até a galerinha do 'Sul é o meu país', os argumentos são profundamente economicistas, sendo o apelo identidário muito vago, não se decidindo por uma coisa ou por outra. No final algum identidarismo brasileiro por mais chifrin que seja acaba se sobrepondo ao economicismo separatista.

_________________________________________
TUTORIAL=> Encurtando e criptografando links
avatar
White Witch
Webmaster
Webmaster

Mensagens : 1776
Data de inscrição : 02/07/2014
Localização : Seversk - Rússia

http://eusouarcaico.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por Joe em 24/9/2015, 16:10

Rant Casey escreveu:Vejo nisso antes um calcanhar de Aquiles de movimentos supostamente progressistas: a recorrência do nacionalismo, no caso em questão o africano (mas poderia ser qualquer outro desde que não seja Europeu, caso o contrário os progressistas notam o "bug" no sistema).

O progressismo consegue até certo ponto acomodar em seu seio movimentos identitários com o ideal progressista de "Um mundo, uma sociedade, sem distinções", sob a pretensa de que os movimentos identitários são necessários num primeiro momento para que haja mobilização. Em parte, isso não conflita tanto assim, porque certos movimentos e sentimentos comunitários tendem a perder tração conforme metas progressistas são atingidas (exemplo: com o avanço do feminismo, muitas mulheres não vêem mais necessidade de suas vertentes radicais e enxergam mais um papel de vigilância por direitos conquistados do que uma necessidade de revolução, para eterno ressentimento da militância).

Observe que este ideal progressista de "Um mundo, uma sociedade, sem distinções" seria a sociedade de consumo perfeita. Se não há distinções, logo não há empecilhos no consumismo. Isso significa que um branco pode usar um turbante afro, um negro comer sushi e um japonês usar saia escocesa sem constrangimento nenhum. Tudo isso significa consumo. Turbantes, sushi e saias escocesas não são de graça.

Diferenças culturais são instrumentalizadas e transformadas em fetiche de consumo. Mas para isso ser possível, é preciso que “Um mundo, uma sociedade, sem distinções" seja viabilizado cada vez mais.

Sem distinções=vc pode consumir o que quiser.

Casos extremos seriam o daquela branquela gringa que se pintou de preta e virou ativista do movimento negro. O “sem distinções” foi levado ao pé da letra.

Ironicamente, esses progressistas da linha “isto é apropriação cultural” são mais conservadores que muita olavette, pois compreendem, mesmo de uma forma torta, que sua identidade virou mercadoria dentro da sociedade capitalista de consumo.

Na verdade esse papo de “isto é apropriação cultural” desses progressistas mais radicais é uma reação, mesmo que tosca, ao que Durkheim chama de anomia.

A anomia é um estado de falta de objectivos e perda de identidade, provocado pelas intensas transformações ocorrentes nomundo social moderno. A partir do surgimento do Capitalismo e da tomada da Razão como forma de explicar o mundo, há um brusco rompimento com valores tradicionais, fortemente ligados à concepção religiosa. A Modernidade, com seus intensos processos de mudança, não fornece novos valores que preencham os anteriores demolidos, ocasionando uma espécie de vazio de significado no cotidiano de muitos indivíduos. Há um sentimento de se "estar à deriva," participando inconscientemente dos processos coletivos/sociais: perda quase total da atuação consciente e da identidade.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Anomia

Rant Casey escreveu:Porém... uma coisa são movimentos identitários que compartilham mais semelhanças do que diferenças socioeconômicas com o "mainstream" (as pessoas que cagam pra isso). Qualquer possibilidade de "chauvinismo" feminino, gay, trans, gordo, etc, se dissipa nas relações diárias pela forma como a pessoa se insere em redes de solidariedade e satisfação mútua de necessidades com o restante da sociedade. Por feminista que seja uma mulher, ela se apazigua com seu pai se ele faz vista grossa para alguns de seus comportamentos, e continua abrindo a carteira para lhe bancar os estudos e alguns luxos.

O buraco é um pouco mais embaixo com chauvinismos étnicos e religiosos. Aqui entra o "bug" que serra o galho onde as premissas do progressismo se sentam. Elas são fundamentalmente anti nacionalistas em seu projeto para a humanidade.

Uma explicação boa é a oferecida pelo Peter Zohrab no seu “Sexo, mentiras e feminismo”.

Ele diz: homens e mulheres precisam um do outro. Brancos e negros não.

A declaração não é racista. É apenas a constatação da realidade. Coloque homens sozinhos numa ilha e mulheres noutra, nenhum sobrevive mais do que uma geração. Coloque brancos e negros em ilhas diferentes e, havendo um número proporcional de homens e mulheres, estes se perpetuarão infinitamente.

Zohrab usa essa analogia para explicar pq o feminismo não convence a maioria das mulheres e tbm pq a comparação das mulheres com os negros à moda John Lennon é falsa.

No fundo há uma verdade no argumento conservador do “mande gays para uma ilha deserta e eles não passam de uma geração”.  Gays, assim como mulheres, dependem dos heterossexuais. Mulheres heterossexuais precisam de homens heterossexuais, assim como eles precisam tbm delas, em vários níveis (sexual, afetivo, etc). Gays, em menor grau, tbm. Gays são filhos de heterossexuais e como o Luiz Mott bem disse “sem heterossexuais não há gays” pq é preciso um homem e uma mulher para fazer um gay (mesmo sem querer).

Em suma, onde não há um elemento sexual/reprodutivo unindo grupos “minoritários” (que é o caso de mulheres e gays) a “majoritários” (homens e heteros), o caldo engrossa. Por isso é que é difícil conciliar diferenças étnicas e religiosas. A ideia básica seria mais ou menos assim: “não precisamos de homens e mulheres de outras etnias e religiões. Somos auto-suficientes”. E não deixa de estar correto esse pensamento. Mande uma etnia ou religião para uma ilha deserta, que eles conseguem se perpetuar e sobreviver.

Como diria o White Witch: “no fundo tudo é sexo”.


Última edição por Joe em 24/9/2015, 18:13, editado 7 vez(es)

_________________________________________
""Ain't nothing sadder than an outdoor cat thinks he's an indoor cat."
avatar
Joe
SATANISTA

Mensagens : 3503
Data de inscrição : 01/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por White Witch em 24/9/2015, 16:34

Na verdade esse papo de “isto é apropriação cultural” desses progressistas mais radicais é uma reação, mesmo que tosca, ao que Durkheim chama de anomia.

O Dugin também tem um nome para isso, que se chama de transhumanismo ou a "suprahumanidade", o prefixo cai bem como trocadilhismo com o pessoal transgenero.

_________________________________________
TUTORIAL=> Encurtando e criptografando links
avatar
White Witch
Webmaster
Webmaster

Mensagens : 1776
Data de inscrição : 02/07/2014
Localização : Seversk - Rússia

http://eusouarcaico.forumeiros.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por Joe em 24/9/2015, 18:10

Porra, mas isso tá cada vez mais comédia. O fogo tá chegando até nos poliamoristas, hahahaha



https://www.facebook.com/AventurasnaJusticaSocial/photos/a.829754243772760.1073741829.827240997357418/900153323399518/?type=3&theater

_________________________________________
""Ain't nothing sadder than an outdoor cat thinks he's an indoor cat."
avatar
Joe
SATANISTA

Mensagens : 3503
Data de inscrição : 01/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por Marcoasf em 24/9/2015, 19:52

Joe escreveu:
Rant Casey escreveu:Vejo nisso antes um calcanhar de Aquiles de movimentos supostamente progressistas: a recorrência do nacionalismo, no caso em questão o africano (mas poderia ser qualquer outro desde que não seja Europeu, caso o contrário os progressistas notam o "bug" no sistema).

O progressismo consegue até certo ponto acomodar em seu seio movimentos identitários com o ideal progressista de "Um mundo, uma sociedade, sem distinções", sob a pretensa de que os movimentos identitários são necessários num primeiro momento para que haja mobilização. Em parte, isso não conflita tanto assim, porque certos movimentos e sentimentos comunitários tendem a perder tração conforme metas progressistas são atingidas (exemplo: com o avanço do feminismo, muitas mulheres não vêem mais necessidade de suas vertentes radicais e enxergam mais um papel de vigilância por direitos conquistados do que uma necessidade de revolução, para eterno ressentimento da militância).

Observe que este ideal progressista de "Um mundo, uma sociedade, sem distinções" seria a sociedade de consumo perfeita. Se não há distinções, logo não há empecilhos no consumismo. Isso significa que um branco pode usar um turbante afro, um negro comer sushi e um japonês usar saia escocesa sem constrangimento nenhum. Tudo isso significa consumo. Turbantes, sushi e saias escocesas não são de graça.

Diferenças culturais são instrumentalizadas e transformadas em fetiche de consumo. Mas para isso ser possível, é preciso que “Um mundo, uma sociedade, sem distinções" seja viabilizado cada vez mais.

Sem distinções=vc pode consumir o que quiser.

Casos extremos seriam o daquela branquela gringa que se pintou de preta e virou ativista do movimento negro. O “sem distinções” foi levado ao pé da letra.

Ironicamente, esses progressistas da linha “isto é apropriação cultural” são mais conservadores que muita olavette, pois compreendem, mesmo de uma forma torta, que sua identidade virou mercadoria dentro da sociedade capitalista de consumo.

Na verdade esse papo de “isto é apropriação cultural” desses progressistas mais radicais é uma reação, mesmo que tosca, ao que Durkheim chama de anomia.

A anomia é um estado de falta de objectivos e perda de identidade, provocado pelas intensas transformações ocorrentes nomundo social moderno. A partir do surgimento do Capitalismo e da tomada da Razão como forma de explicar o mundo, há um brusco rompimento com valores tradicionais, fortemente ligados à concepção religiosa. A Modernidade, com seus intensos processos de mudança, não fornece novos valores que preencham os anteriores demolidos, ocasionando uma espécie de vazio de significado no cotidiano de muitos indivíduos. Há um sentimento de se "estar à deriva," participando inconscientemente dos processos coletivos/sociais: perda quase total da atuação consciente e da identidade.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Anomia

Rant Casey escreveu:Porém... uma coisa são movimentos identitários que compartilham mais semelhanças do que diferenças socioeconômicas com o "mainstream" (as pessoas que cagam pra isso). Qualquer possibilidade de "chauvinismo" feminino, gay, trans, gordo, etc, se dissipa nas relações diárias pela forma como a pessoa se insere em redes de solidariedade e satisfação mútua de necessidades com o restante da sociedade. Por feminista que seja uma mulher, ela se apazigua com seu pai se ele faz vista grossa para alguns de seus comportamentos, e continua abrindo a carteira para lhe bancar os estudos e alguns luxos.

O buraco é um pouco mais embaixo com chauvinismos étnicos e religiosos. Aqui entra o "bug" que serra o galho onde as premissas do progressismo se sentam. Elas são fundamentalmente anti nacionalistas em seu projeto para a humanidade.

Uma explicação boa é a oferecida pelo Peter Zohrab no seu “Sexo, mentiras e feminismo”.

Ele diz: homens e mulheres precisam um do outro. Brancos e negros não.

A declaração não é racista. É apenas a constatação da realidade. Coloque homens sozinhos numa ilha e mulheres noutra, nenhum sobrevive mais do que uma geração. Coloque brancos e negros em ilhas diferentes e, havendo um número proporcional de homens e mulheres, estes se perpetuarão infinitamente.

Zohrab usa essa analogia para explicar pq o feminismo não convence a maioria das mulheres e tbm pq a comparação das mulheres com os negros à moda John Lennon é falsa.

No fundo há uma verdade no argumento conservador do “mande gays para uma ilha deserta e eles não passam de uma geração”.  Gays, assim como mulheres, dependem dos heterossexuais. Mulheres heterossexuais precisam de homens heterossexuais, assim como eles precisam tbm delas, em vários níveis (sexual, afetivo, etc). Gays, em menor grau, tbm. Gays são filhos de heterossexuais e como o Luiz Mott bem disse “sem heterossexuais não há gays” pq é preciso um homem e uma mulher para fazer um gay (mesmo sem querer).

Em suma, onde não há um elemento sexual/reprodutivo unindo grupos “minoritários” (que é o caso de mulheres e gays) a “majoritários” (homens e heteros), o caldo engrossa. Por isso é que é difícil conciliar diferenças étnicas e religiosas. A ideia básica seria mais ou menos assim: “não precisamos de homens e mulheres de outras etnias e religiões. Somos auto-suficientes”. E não deixa de estar correto esse pensamento. Mande uma etnia ou religião para uma ilha deserta, que eles conseguem se perpetuar e sobreviver.

Como diria o White Witch: “no fundo tudo é sexo”.

Pois é, o sonho das elites globalistas não é criar uma sociedade multicultural, onde todos dão as mãos e dançam juntos ao redor de um campo cercado de flores. O sonho deles é ter um Taco Bell em frente a um China Express em cada esquina possível.
avatar
Marcoasf
Aspirante a Arcaico
Aspirante a Arcaico

Mensagens : 654
Data de inscrição : 03/07/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por "V" em 25/9/2015, 21:20

"
O tiro no pé mais feio mesmo foi quando acusaram uma grife de roupas baseadas em modas africanas, de fazerem apropriação cultural e lucrarem com racismo, e então receberam uma bela resposta dos proprietários do negócio, que eram um casal de negros senegaleses."

lkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

_________________________________________
"vi veri veniversum vivus vici"
https://www.youtube.com/watch?v=b2NCtQADwQw
avatar
"V"
Webmaster
Webmaster

Mensagens : 873
Data de inscrição : 07/05/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por "V" em 25/9/2015, 21:45

Joe escreveu:Porra, mas isso tá cada vez mais comédia. O fogo tá chegando até nos poliamoristas, hahahaha



https://www.facebook.com/AventurasnaJusticaSocial/photos/a.829754243772760.1073741829.827240997357418/900153323399518/?type=3&theater

ciencias sociais 5000 hauahuahuahaua os caras sao foda.

_________________________________________
"vi veri veniversum vivus vici"
https://www.youtube.com/watch?v=b2NCtQADwQw
avatar
"V"
Webmaster
Webmaster

Mensagens : 873
Data de inscrição : 07/05/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Justiçadas sociais News

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum